O que você está procurando?

sábado, 29 de junho de 2013

Memórias Fictícias - Carina Corá


"Maldita realidade que nunca pode ser apagada, que grita para mostrar-se e chocar-se contra os sonhos."





Quatro diários. Três seres. Uma busca em comum: chegar à superfície da realidade. Uma torre, um lago de cristal, olhos de universo presentes em tempos diversos, em vidas cruzadas e em memórias fictícias. Um mundo imaginário perdido no limbo de uma casa que abrigara relações misteriosas de uma família. Até que ponto suas memórias são verdadeiras? Através dos relatos de Coralina de Lilá, Bianca Giacomina e Érus atravessamos o fino limiar entre realidade e ficção.






Enquanto eu estava lendo, se alguém me perguntava como estava indo, eu só podia responder uma coisa: SURREAL.

Uma coisa que eu amei no livro, é que como são três pessoas narrando, você fica por dentro do que cada uma delas pensa sobre os acontecimentos. Então, vamos supor que você está lendo o diário de Coralina, então você fica do lado dela por que ela tem bons argumentos para que você fique do lado dela. Aí você vai para o diário de Giacomina, então você fica do lado de Giacomina, por que ela tem bons argumentos...
E assim vai, você sem saber de que lado fica.

Após a morte do pai, Coralina de Lilá e a mãe se mudam para uma antiga casa onde mora uma Freira, aparentemente, muito bizarra. De cara Coralina se encanta com uma Torre da casa, sem portas nem janelas, e com esta tal construção a jovem irá se perturbar com dezenas de sonhos seguidos. Ou pesadelos.
Giacomina, a Freira, proibi então Coral de entrar na torre. Mas vocês sabem né... Nunca devemos proibir pessoas curiosas de fazerem as coisas, aí que elas vão fazer mesmo. Então, como esperado, Coralina entra na torre..

É óbvio que eu não vou falar o que ela encontra lá.
Mas acreditem, é sim, SURREAL.

Para não se perder totalmente na realidade, Coral deve escrever sobre seu cotidiano, para que assim possa diferenciar sonhos de... Coisas que não são sonhos. Bem, mas o difícil é que ela não sabe o que é ou não é parte do real. Ao que tudo indica, talvez ela nunca tenha vivido no real. Ou tenha deixado de viver no real depois que entrou na torre.

Ou talvez o real seja mais irreal do que ela imagina.

E sabe quando você está lendo e, de repente, aparece uma coisa que te faz ficar, tipo: 

O QUÊ? COMO ASSIM? NÃO ACREDITO DE MANEIRA NENHUMA! COMO PODE ISSO? É IMPOSSÍVEL!!! 

Pois é.
E quando você se recupera de um dos sustos, aparece um pior.
E parece que a história está do avesso, mas aí você percebe que talvez o avesso seja o lado certo. **li isso não sei onde.

Aah, e tem romance, ok?
Um romance doentio, possessivo, perturbador.
Isso, claro, se ele não for um sonho...

Sobre o que eu achei...
Só não estava acreditando que Memórias Fictícias foi o primeiro livro da Carina, e que a Carina tinha, o que... Dezenove anos quando escreveu.
Sinceramente, parece mais obra daqueles escritores famosos e experientes que já aprenderam o suficiente para te deixar louco enquanto está lendo.

Os capítulos são bem curtinhos, o que não te deixa cansar de jeito nenhum.
A linguagem é daquele estilo meio poético, mas simples de se entender.
No total são sete cartas, distribuídas em quatro diários.
E essa capa? Só amei essa capa. É direta, porém misteriosa... Subentendem-se muitas coisas a partir dela. Mostro o exemplar que a Carina me mandou (autografado, ô/) na próxima Caixa de Correio.


Dados Importantes:
Título: Memórias Fictícias
Autor: Carina Corá
Editora: Novo Século - Selo Novos Talentos da Literatura Brasileira
Páginas: 207
Ano: 2013

---
Ah, claro.
Carina, muito obrigada pelo livro. Eu amei! E, nossa, estou até com orgulho de ter conseguido uma parceria como essa. Memórias Fictícias tem uma história riquíssima. Parabéns!

E, vocês, pessoas que ainda vão ler...

Cuidado, a ausência da realidade pode ter sérias consequências.

6 comentários:

  1. Fiquei amplamente curiosa a respeito deste livro, e claro o que tem dentro da torre. Preciso dele de mais, parabéns pela sua resenha!!
    Abraços :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Own, obrigada *-*
      O que tem dentro da torre é algo muito interessante, mesmo.
      Tipo uma bomba de purpurina, sabe? rsrs

      Excluir
  2. O livro parece bom... romances doentios e possessivos são sempre interessantes de se ler, pelo menos eu gosto! A resenha está muito boa, também :)

    http://lapispapelborracha.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também adoro esses romances fora do padrão, Natália.
      Às vezes é bom sair do felizes para sempre um pouquinho, né?
      bj

      Excluir
  3. Oi Rafa essa será minha próxima leitura, a Carina é uma fofa né, e o livro dela me
    encantei logo de cara, amei sua resenha!
    bjs
    livrosajaneladaimaginacao.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é encantador, sim.
      Tenho certeza que você irá adorar Dani. ♥

      Excluir